SIMPÓSIO TEMÁTICO

28 02 2009


logo_b
CHAMADA DE TRABALHOS: 05 de janeiro a 15 de março/2009

SIMPÓSIO TEMÁTICO:

nº 36. Os Índios na História: Organização, Mobilização e Atuação Política

Coordenadores: EDSON HELY SILVA, JOHN MANUEL MONTEIRO

SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA/ANPUH (Fortaleza/CE, 12 a 17/07/2009)
Informações: http://www.snh2009.anpuh.org

Abçs.,
Edson Silva

Anúncios




VII SEMANA DA UFRPE

28 02 2009


ufrpe

Para saber mais, acesse:http://semanadehistoriaufrpe.com





ABELARDO E HELOÍSA: CONSIDERAÇÕES SOBRE A SITUAÇÃO DA MULHER NA IDADE MÉDIA

27 02 2009

filme
ABELARDO E HELOÍSA: CONSIDERAÇÕES SOBRE A SITUAÇÃO DA
MULHER NA IDADE MÉDIA
Ana Paula Schlesener
Laureanda de Lingua e Letteratura Italiana
Università per Straneri di Siena, Itália
Resumo: A obra Abelardo e Heloísa é conhecida como uma das mais belas e trágicas histórias de amor. O objetivo deste ensaio é analisar algumas de suas cartas para refletir sobre o mistério da situação da mulher na sociedade medieval.

O poder pertenceu aos homens e essa tradição tornou-se mais dura para a mulher durante a Idade Média, período em que ela se encontrava em absoluta dependência, primeiro do pai e, depois, do marido. As causas históricas mais conhecidas da submissão da mulher ao homem são a constitução e manutenção da família, à qual se vincula a conservação e a transmissão da propriedade (BEAUVOIR, 2002). Entretanto, em todos os períodos históricos sempre existiram mulheres excepcionais, que escaparam da dependência masculina fugindo da estrutura familiar (principalmente no celibato monacal) ou rompendo as regras sociais vigentes por meio de uma instrução muitas vezes superior à dos homens.
A história de Heloísa e Abelardo é conhecida como uma das mais belas
histórias de amor, contada por meio de cartas que são verdadeiras preciosidades literárias, que geraram profundas reflexões filosóficas sobre o tema do amor, o mais belo vínculo.

LEIA O ARTIGO COMPLETO:
http://www.unicentro.br/editora/revistas/analecta/v4n1/artigo%206%20abelardo%20e%20heloisa.pdf





CARNAVAL MULTICULTURAL DO RECIFE

24 02 2009

mascaras1

Acesse:http://www.carnavaldorecife.com.br/#





OS 10 MAIS !!!

23 02 2009

Atenção visitantes! Este é o ranking dos títulos mais acessados desde dezembro/2008. O tema “Povos Indígenas” é o líder nos acessos e pesquisas não só porque está de fácil visualização, mas certamente, devido à curiosidade dos/as nossos/as visitantes sobre o assunto.

Agradecemos pelas visitas e consultas!

Nosso objetivo é tornar este espaço cada vez mais lido, em especial pela juventude, e contamos, com sua colaboração na divulgação deste blog que tem o propósito de basicamente disponibilizar informações históricas e de fontes confiáveis.

Título e Visualizações

1. ALDEIA DE ESCADA: ESBULHOS DE TERRAS -50
2 .OPINIÃO: CONFLITO ENTRE ISRAEL E PALEST -25
3. O holocausto da faixa de Gaza -25
4. Ó, DESPREZÍVEIS SOLTEIRONAS -24
5. A FUGA DA FAMÍLIA REAL PORTUGUESA -24
6. PROJETO “CONHECENDO PERNAMBUCO” -20
7. copia-de-pict0064 -17
8. BLASFEMAR ERA COISA COMUM NA COLÔNIA -15
9. GUERRA DO PARAGUAI: GENOCÍDIO AMERICANO -14
10. MINERAÇÃO NO BRASIL COLÔNIA -12





LIVROS DE GRAÇA!!!

22 02 2009

livros
Quer baixar livros de graça para seu computador, pen drive ou cd? Conheça o site “Viciados em Livros”. Acesse o endereço abaixo e aproveite. Ah! Não se esqueça de divulgar entre seus amigos.

http://www.esnips.com/web/ViciadosHistoria/

Atenção: Para baixar os livros é muito simples. É só passar o cursor (mouse) sobre o título do livro e clicar. Pronto, faça o download e boa leitura!!!





HISTÓRIA DO CARNAVAL DE PE / BRASIL

21 02 2009

fre-i

A História do Carnaval

Os festejos carnavalescos foram trazidos pelos portugueses com o nome de entrudo. Era uma brincadeira violenta, onde os foliões lançavam farinha, tinturas e até água suja. Foi proibida oficialmente e aos poucos as batalhas passaram a usar confete e serpentina.

No século XIX, surgem o frevo e o passo, dando ao carnaval de Pernambuco uma identidade única no Brasil. A partir de então, operários urbanos organizaram as primeiras agremiações nos bairros populares.

No início, muitas corporações mantiveram identidade profissional: os caiadores desfilavam juntos, assim como os lenhadores. Mas, com o tempo, foram sendo criados clubes mais abertos, com nomes engraçados: Canequinhas Japonesas, Marujos do Ocidente, Toureiros de Santo Antonio.

Ao lado dos maracatus, dos ursos, dos caboclinhos, das escolas de samba, estes clubes, troças e blocos, unindo as influências européias, africanas e indígenas, transformaram o carnaval de Pernambuco no maior caldeirão cultural do Brasil.

Para saber mais da História do Carnaval

A palavra carnaval deriva do latim carnem levare (abstenção da carne) – pois a festa sempre foi comemorada no período que antecede a quaresma, quando se praticava a abstinência da carne. Como diversão popular, o carnaval assume as peculiaridades dos lugares onde ocorre. Todos os carnavais são reminiscências das festas dionisíacas da Grécia Antiga, das bacanais de Roma e dos bailes de máscara do Renascimento.

Se você quer saber mais sobre o Carnaval de Pernambuco, visite a Casa do Carnaval. Ela fica no Pátio de São Pedro, casa 52, bairro de São José, e possui um belo acervo de máscaras, estandartes, roupas de antigas agremiações, além de documentos e mais de mil partituras carnavalescas. Os telefones são: 0055 – 081 – 3424.4942 e 0055 – 081 – 3424.1561.

Livros sobre o Carnaval de Pernambuco

Barbosa de Araújo, Rita de Cássia
FESTA: MÁSCARA DO TEMPO.
Fundação de Cultura da Cidade do Recife, 1996.

Benjamin, Roberto
FOLGUEDOS E DANÇAS DE PERNAMBUCO.
Editora Liceu, 1989.

Bonald, Olímpio
OS GIGANTES FOLIÕES EM PERNAMBUCO.
CL Gráfica e Editora, 1991.

Dantas Silva, Leonardo
ANTOLOGIA DO CARNAVAL DO RECIFE.
Editora Massangana, 1991.

Real, Katarina
O FOLCLORE NO CARNAVAL PERNAMBUCANO.
Editora Massangana, 1990.

Fonte:http://www.pousadapeter.com.br