MINI DICIONÁRIO TUPI-GUARANI

tribos_011
Aaru: espécie de bolo preparado com um tatu moqueado, triturado em pilão e misturado com farinha de mandioca.
Abá: Veja auá
Ababá: tribo tupi-guarani que habitava as cabeceiras do rio Corumbiara(MT).
Abaçaí: a pessoa que espreita, persegue, gênio perseguidor de índios espírito maligno que perseguia os índios, enlouquecendo-os.
Abacataia: peixe de água salgada, parecido com o peixe-galo.
Abacatina: Veja Abacataia.
Abacatuaia: Veja Abacataia.
Abacaxi: fruto cheiroso.
Abacutaia: Veja Abacataia.
Abaetê: pessoa boa, pessoa de palavra, pessoa honrada.
Abaeté: Veja Abaetê.
Abaetetuba: lugar cheio de gente boa.
Abaíba: noivo, Namorado.
Abaité: gente ruim, gente repulsiva, gente estranha.
Abanã: (gente de) cabelo forte ou cabelo duro.
Abanheém: Veja Avanheenga.
Abanheenga: Veja Avanheenga.
Abaquar: senhor (chefe)do vôo.
Abaré: Veja Avaré.
Abarebêbê: de homem distinto que voa, o padre voador.
Abaruna: Veja Avaré.
Abatí: milho, plantação de milho.
Abatiy: vinho de milho.
Abequar: Homem que voa.
Abirú: cheio, repleto, farto, gordo, cheio de comida.
Aboçápecaú: nome de numa taba encontrada na ilha pelos primeiros conquistadores. Aboçá é corrupção de Imbiaçá que vem de Mbé – açaba – a saida do caminho , o porto ; peca significa pato e U significa, água, rio. Donde temos:
Aboçá-peca-u ou Mbê-açaba-peca-u que se transformou no Massiambú. Dos nossos dias e que interpretamos caminho do rio do pato.
Abói: minhoca.
Abunã: Comida com ovos de tartaruga da Amazonia.
Abuna: Veja Avaré.
Açã: Gritar.
Acag: Veja Acanga.
Açaí: fruta que chora, fruta de onde sai líquido.
Acamim: uma das espécies de pássaros; uma das espécies de vegetais.
Acanga: Cabeça.
Acangatara: Cocar, enfeite de cabeça, espécie de coroa de penas de cores vistosas, usada nas festas das tribos.
Acará: Denominação da garça branca.
Acará: garça, ave branca.
Açarai: de rio do acará ou cará.
Acarai: Veja Acaraú.
Acarapeba: Veja Carapeba.
Acarapéua: Veja Carapeba.
Acarapeva: Veja Carapeba.
Acaraú: rio das garças.
Acauã: Lingua Tupi. Ave que mata as cobras e sustenta com elas seus fiihos.
Acemira: o que faz doer, o que é doloroso (moacir).
Acir: Veja Acemira.
Acre: Vem de Áquiri, touca de penas usada pelos ìndios munducurus.
Açu: grande, considerável, comprido, longo.
Acutia: nome de uma taba indígena que existia onde é hoje a capital de Santa Catarina no lado continental. Vem do nome dado pelos guaranis ao animal roedor, conhecido vulgarmente por Cutia.
Adjuloná: Assobios de folhas de buriti, entre os índios Carajás.
Aêté: Veja Anête.
Aguaniranga: bracelete com penas.
Aguapé: redondo e chato, a vitória-régia, plantas que flutuam em águas calmas.
Aguará: Veja Guará (2).
Aguarachaim: de o devorador ágil.
Aguaraçu: Veja Guara (2).
Aiaiá: Veja Ajaja.
Aíba: Mau, ruim.
Aimara: Arvore, araçá-do-brejo.
Aimará: túnica de algodão e plumas, usada principalmente pelos guaranis.
Aimiri: Veja Aimirim.
Aimirim: formiguinha.
Aipim: de raiz enxuta, mandioca mansa.
Airequecê: Veja Iaé.
Airumã: estrela-d’alva.
Airy: uma variedade de palmeira.
Aisó: formosa.
Aîtataka: bater o queixo de frio.
Aîuba: maduro (fruto amarelo).
Aîubyka: enforcar.
Aîupuara: amarrar pelo pescoço.
Aiyra: filha.
Ajajá: colhereiro (espécie de garça, de bico comprido, alargado na ponta).
Ajeru: Veja Ajuru.
Ajuá: fruta com espinho.
Ajubá: amarelo.
Ajucá – Festa de Jurema, entre os indigenas.
Ajurapéa: vem de Ajur-û pescoço escuro – nome de uma casta de papagaios e pê-caminho. Logo caminhos dos papagaios.
Ajuru: árvore de madeira dura, com frutos de polpa comestível.
Akag: Veja Acanga.
Akãí: gravetos.
Akaîu: caju, ano (os índios contavam anos, tomando como base o aparecimento do cajú).
Akaîui: vinho de cajú.
Akaîuti: castanha de cajú.
Akangatu: memória, lucidez, inteligência.
Akitãi: baixo, baixa estatura.
Aleto: Veja Abacataia.
Amana: Veja Amanda.
Amanaci: Veja Amanacy.
Amanacy: a mãe da chuva.
Amanaiara: a senhora da chuva ou o senhor da chuva.
Amanajé: mensageiro.
Amanara: dia chuvoso.
Amanda: chuva.
Amandy: dia de chuva.
Amao: Personagem divina que ensinou aos indígenas Camanaos, do Rio Negro, Amazonas, o processo de fazer beiju, tapioca e farinha de mandioca.
Amapá: ama’pá – árvore da família das apocináceas (Parahancornia amapa),de madeira útil, e cuja casca, amarga, exsuda látex medicinal , de aplicação no tratamento da asma , bronquite e afecções pulmonares , tendo seu uso externo poder resolutivo e cicatrizante de golpes e feridas.
Amary: uma espécie de árvore.
Amatirí: Veja Amãtiti.
Amãtiti: raio, corisco.
Amazonas: Nome de mulheres guerreiras que teriam sido vistas pelo espanhol Orellana ao desbravar o rio. Porém, para alguns historiadores , vem de amassuru , idioma Tupi, Águas retumbantes.
Amberé: lagartixa.
Ambûá: centopéia.
Amendoim: de fruto enterrado.
Amerê: fumaça.
Ami: aranha que não tece teia, espremer.
Amó rupi: ao contrário, às avessas.
Ámo: Algum.
Amongûy: emplumar o corpo de.
Amopira: precipicio.
Amosobaindaba: o outro lado do rio, a outra margem.
Amuara: Algum dia.
Amundaba: aldeia vizinha, arrebalde.
Amyipagûana: antepassado.
Amyniîu: algodão.
Amyri: finado, defunto (forma afetiva).
Anaantanha: Imagem do diabo. Tanha, figura e Anaan, diabo.
Anacê: parente.
Anajé: gavião de rapina.
Anama: família, parente, raça, nação.
Anama: grosso, espesso.
Anamí: uma das espécies de árvores.
Anãmiri: anão, duende.
Ananã: Vejae abacaxi.
Ananas: o Veja abacaxi.
Anauê: salve, olá.
Andirá: morcego.
Andira: o senhor dos agouros tristes.
Anduba: (Verbo) Perceber. Sentir.
Anequim: de espécie de tubarão.
Anête: Elevado, elevadíssimo.
Angá: afeição, ternura.
Anga: Alma.
Angá: expressão de surprêsa agradável, oh que bom!.
Anga: sombra, abrigo, alma.
Angaba: assombração.
Angaba: exprime compaixão (coitado!).
Angatu: alma boa, bem estar, felicidade.
Angoera: Fantasma, visão, imagem, Tupi-Guarani.
Angu: de papa de farinha.
Angûera: espírito, alma penada.
Angûeraso: espantar, atemorizar, aquilo que apavora.
Anha: dente.
Anhãi: na ponta, no cabo.
Anhana: expelido, empurrado.
Anhangüera: diabo velho.
Anhapoã: presas, dente canino.
Anhato-mirim: Ilhote onde se levanta o forte de Santa Cruz , vemos também escrito Inhato Prazeres Maranhão , dá para este vocábulo a significado de cão, mas como não encontrei nenhum vocabulo em tupy-guarani em que possa me basear para afirmar isso. prefiro a tradição popular que diz que a palvra Anhatomirim nao seja
escrita como cão pequeno. Mas seja escrita como aanhan ou anaann to mirim Diabo ilha pequena (pequena ilha do diabo).
Anhima: de a ave preta.
Anhó: só, somente.
Anhubana: abraçar.
Anhuri: colo, estreito no meio.
Aninga: arrepio, arrepiar-se.
Anomatí: além, distante.
Anonga: agourar, prognosticar.
Antã: forte, ágil, esperto.
Anu: de o aparentado.
Aondê: coruja.
Apamonama: misturar, remexer.
Apatuiá: secar.
Apé: caminho, trilha.
Apearõ: entocaiar, esperar escondido.
Apeasaba: pontilhão, passarela.
Apecatu: o bom caminho.
Apecu: Veja ape’kü.
Apecum: Veja Ape’ku.
Apeîara: guia (conhecedor dos caminhos).
Ape’kü: brejo de água salgada (à borda do mar) croa de areia feita pelo mar.
Apenunga: onda.
Apeoka: descascar, desentortar.
Apepu: som de coisa oca.
Apepûera: casca de concha.
Apererá: raso, igual, tosado.
Apeterei: de Rio do meio.
Apiçá: Atenção.
Apichai: crespo, enrugado.
Apicu: Veja Ape’kü.
Apicum: Mesmo qeu Ape’ku.
Apoena: aquele que enxerga longe.
Apuama: que não para em casa, veloz, que tem correnteza.
Apuava: de o saltador.
Apué: longe, distante.
Apyrytá: armação de cumeeira.
Apytama: feixe, molho, ramalhete.
Aquíri: Perna.
Arabé: barata, besouro.
Araçá: de fruto de época, tempo.
Aracambé: cachorro-do-mato, o cachorro vinagre.
Aracangüira: Veja Abacataia.
Araça-pitanga: de Araçá vermelho:
Araçary: Veja Arassary.
Araçatuba: de muito araçá, araçasal.
Aracê: aurora, o nascer do dia, o canto dos pássaros (pela manhã).
Aracema: bando de papagaios (periquitos, jandaias, araras), bando de aves.
Araçóia: Saia de plumas de ema que os Indios usavam ao redor da cintura em certas cerimônias.
Aracu: Na astronomia indigena do Amazonas, e o grupo de estrelas que forma a empunhadura da espada do Orion na constelação do mesmo nome.
Aracuam: de o papagaio esguio.
Aracy: a mãe do dia, a fonte do dia, a origem dos pássaros.
Araguari: de rio do esconderijo dos papagaios.
Aram: sol.
Arani: tempo furioso.
Arapari: 0 Cruzeiro do Sul, para as tribos indigenas do Rio Solimoes.
Araponga: de o papagaio que soa estridente.
Arapuã: abelha redonda.
Arapuca: de colher aves ,armadilha para aves, construindo numa pirâmide de gravetos de pauzinhos ou lasca de bambu.
Araquan: Veja aracuam.
Araquari: este nome vem assim grafado em antigos mapas: Lecori,
Ancori, Lencori, Araracari, Aracori, Araquari, penso que a grafia mais exata é a ultima. Temos então; . Ara- papagaio, quara – buraco.esconderijo e Y, água rio; logo rio do esconderijo dos papagaios.
Arara: de aumentativo de ará papagaio, papagaio grande.
Ararama: Veja Araruama.
Araranguá: este nome aparece pela primeira vez no mapa de Clemente Jough ( 1640 ) grafado , Aremangar e depois, em outros, Ararariga , Aranga , Areronger , Auronga , Araranga, Jerongoa, etc. Vem, pois, de Arara especie de papagaio e gua ou goá , vale baixada , bacia; logo vale dos papagaios.
Ararapari: È a enxó indigena.
Araraquara: de buraco esconderijo, ninho, logo – esconderijo dos papagaios.
Araraúna: arara preta.
Ararê: amigo dos papagaios.
Araruama: terra dos papagaios.
Ararúna: Veja Araraúna.
Arassary: variedade de tucano.
Arasy: estrela d’alva, madrugada.
Arataca: de armadilha de papagaio.
Aratama: Veja araruama.
Araticum: de vaso da bago de fruto (Veja urucum).
Aratingaúba: de arvore do papagaio branco.
Aratinguá: de papagaio de bico redondo.
Araúna: ave preta.
Araxá: lugar alto onde primeiro se avista o sol.
Aré: 0 Noé dos indigenas Tupi-Guarani.
Arebá: demora.
Arebo: cada dia.
Areté: dia festivo.
Ári: Em cima.
Arioca: de casa, ninho de sapo.
Ariranha: de manchada de vermelho.
Aririu: Veja Iririu.
Ariu: Veja Iririu.
Aroeira: de arvore velha.
Aroui: de rio do sapo.
Aru-Apucuitá: Remo de aru, assim chamavam os indigenas do Rio Negro.
Aruça: de caranguejo.
Aruru: Tristonho.
Asema: grito, gritar, gritador.
Assurini: tribo pertencente a família lingüística tupy-guarani, localizadas em Trocará, no rio Tocantins, logo abaixo de Tucuruí/PA.
Atã: Veja Antã.
Ataendy:chama.
Ataendyuru: castiçal, lamparina.
Atagûasu: fogueira.
Ataîru: companheiro de viagem.
Atauúba: flecha incendiária, foguete.
Ati: gaivota pequena.
Atiaîa: raio de luz, que reflete luminosidade.
Atiati: gaivota grande.
Aturasá: Branco que casava com índia.
Auá: homem, mulher, gente, índio.
Auaiú-aiapé: Bate-Pé.
Auati: gente loura, milho, que tem cabelos louros (como o milho).
Auçá: de Caranguejo.
Aupaba: Terra de origem.
Avá: Veja auá.
Avanheenga: língua de gente, a língua que as pessoas falam.
Avaré: amigo, missionário, catequista, senhor de preto, padre.
Avati: Veja Auati.
Awa: redondo.
Awañene: Veja avanheenga.
Awapé: Veja Aguapé.
Awa’ré: Veja Abaré.
Awaré: Veja avaré.
Ayayá: Veja Ajajá.
Aymberê: lagartixa.
Ayty: ninho.
Ayurú: Veja Ajurú

Bá: Pleno, cheio.
Babacutaia: Vida Aracanguira.
Babaka: virar, voltar-se, revirar; retorcido, a vulva.
Babaquara: tolo, aquele que não sabe de nada, Também Morador do refugio.
Babitonga: este nome vem escrito, Bapitanga pela primeira vez no mapa de Pere Coronelli em 1648. Nos seguintes: Bepitanga , Pepitanga, Babytonga, etc. Teceram sobre ele historias e lendas mas na minha opinião este nome provém da ilhota Itapitanga. De ita pedra e pitanga vermelho; temos então. pedra vermelha.
Babui: de palavra híbrida De bambu e Y rio do bambu.
Bacopari: de deposito d’água.
Bacucu: de espécie de marisco.
Bacuri: de rio da coisa quente ou, talvez, de pau fino.
Baguaçu: de fruto grande.
Bagual: de o que é mortal.
Baiacu: de o bicho quente.
Baíra: Entidade civilizadora dos indigenas parintintins ou cauaiuas, do Rio Madeira, no Amazonas, de raça Tupi. Ensinou a pesca com sangab (visco).
Bambae: o que é torcido.
Banga: torto, virado.
Bapo: chocalho usado em solenidade.
Baquara: sabedor de coisas, esperto, sabido, vivo.
Barauna: de madeira preta.
Batarra: grande, forte.
Batinga: de madeira branca.
Batoque: Pedra de beiço, ou cilindro de pau, pedra resina, que os indígenas colocavam no lábio inferior.
Batovi: de Rio da cana verde.
Batui: Veja Batovi.
Bau: de oco, vazio.
Becuiva: de arvore de fruto quente.
Beijú: de bolo de mandioca torrada, o enroscado.
Beîu: pão, bolo.
Beraba: brilhar, resplandecer; brilhante; resplandecente.
Berimbau: de Morro furado.
Biaça: lê-se este nome pela primeira ver em Hans Staden; no mapa de Clemente de Jonghe ( 1640 ) designa o porto da Laguma. Nos seguintes lemos: Ibuasup , Biassa Ibiaçá e Birasuera vem de Mbê ou pê caminho, trilho, Açaba ou Aça atravessar, cruzar. O passo, o porto.
Biboca: de lugar, casa acanhada, casa de barro, moradia humilde.
Bigua: de ave aquática.
Biguaçu: de Bigua grande, também pode ser uma arvore.
Biquara: Veja Baquara.
Biraquera: de dormida do peixe.
Bituva: Veja Imbituba, Embetuba.
Bôca: de um buraco no chão, para jogar bolinha de gude, furo.
Bocaina: de entrada do mato
Boipatiba: deve e ser o atual Mampituba que nos mapas antigos vemos assim escrito Iboipitinni , Ibepetuba , Iboipitinhi Iboypetinhi vem de Mboi cobra, peti casca, escama, tin ou tinga branco e y agua, rio. Logo: rio da cobra de escama branca.
Boitata: e cobra de fogo.(Mboi-tata).
Bora: Particípio; indica contrariedade.
Boré: Flauta de osso.
Botiá: de variedade de coco muito comum no litoral Catarinense.
Botiátuba: de lugar de muito coco Botiá.
Botuca: Veja mutuca.
Bracatinga: de arvore de folha branca.
Brejauva: de Arvore cujo o fruto abre.
Bruaca: de saco de couro, cesto de erva.(mulher velha ?).
Bucaraim: de rio da cobra escamosa.
Bucica: de cão pequeno.
Bucui: de rio da areia fina.
Bugre: denominaçao dada pelo povo aos selvicolas. Julga o Ilustrado P. Teschaner que este vocábulo provem da antiga palavra francesa Bougre que significava sodomita.
Buiagu: de terra quente.
Bupeba: de terra plana, planície.

Caá: mato, folha.
Caapii: Veja Capim
Caapora: Veja Caipora
Caapuã: Veja Caipora
Caba: marimbondo, vespa
Cabanheém: Veja Avanheenga
Cabiru: de rio da coruja.
Caboclo: de tirado do mato, sertanejo.
Caboclo: procedente do branco, mestiço de branco com índio, cariboca, carijó, antiga denominação do indígena, caburé , tapuio, atualmente, designação genérica dos moradores das margens dos rios da Amazônia.
Cabore: Ave noturna, de pio ululado, tida como agourenta pelos indigenas Cariris.
Cabreuva: de fruto da coruja.
Cabriuna: de ma-to de casca preta.
Cabrué: de a coruja
Caburé: Veja caboclo
Cachumba: de Inflamação das glândulas salivais.
Caci: Dor.
Cacira: vespa de ferroada dolorosa
Çaçuena: Sacuena
Caçula: de o filho mais novo.
Cacupé: de caá folha de arvore, o mato, e cupê atras, apoio, costa, logo: costa do mato, atras do mato.
Caetê: de mato virgem ou verdadeiro.
Cafundó: de sitio escuso.
Cafuné: de estalido que se da com as unhas na cabeça de alguém que se cata.
Cafuzo: Veja Caboclo
Caiacanga: de cabeça de bugio (espécie de macaco).
Caiacanga-açu: de cabeça de bugio grande.
Caiacanga-mirim: de cabeça de bugio pequena.
Caiana: de variedade de cana de açúcar.
Caiçara: Cerca feita pelos indigenas em torno da taba (vila indigena).
Caingangue: grupo indígena da região Sul do Brasil, já integrado na sociedade nacional, cuja língua era outrora considerada como jê , e que hoje representa uma família própria, coroado, camé, xoclengues.
Caipira: de o vergonhoso, roceiro, aldeão.
Caipora: aquele ou aquilo que (vive ou mora) no mato.
Çaira: de olhos pequenos.
Caité: Veja caeté.
Caitétu: de dente aguçado.
Cajuru: de entrada do mato.
Calundú: de mau humor, cabeça esquentada.
Calunga: de boneca, negro, cabeça preta.
Camb: leite, líquido do seio, peito, teta, mamica.
Cambacica: de peito liso.
Cambajura: de matagal rijo.
Cambirela: De cambir-reya – muitos seios ou dorsos empolados, em alusão talvez ao grande numero de picos da serra do mar.
Cambirera: Veja Cambirela
Camboatá: de mato que serpenteia.
Camboi: de rio das vespas.
Camboim: de folha, mato.
Camborim: de rio do robalo.
Camboriu: de rio onde corre o leite.
Cambucá: de vem de folha mato e que estoura.
Cambui: de o Veja camboim.
Cambuquira: Broto de abobora.
Camburé: de coruja.
Camé: subtribo do grupo caingangue.
Camuá: palmeira de caule flexível, cheia de espinhosos.
Camu-camu: fruta pouco conhecida que possui grande quantidade de vitamina C.
Canema: de folha fedida.
Cangica: de grão mole ou cosido.
Cangicassu: de grão grande cosido.
Cangua: de cabeça redonda.
Canguari: de rio do extremo.
Cangueiro: de cabeça velha, caveira.
Canhanha: de roncador. Salema.
Canhenha: de mato que rumoreja (resmunga).
Caninana: de seco e riscado.
Canitar: Cocar.
Canjica: de papas de milho branco, dentes, grão mole.
Canoa: embarcação a remo, esculpida no tronco de uma árvore; uma das primeiras palavras indígenas registradas pelos descobridores espanhóis; montaria (designação atual usada pelos caboclos da Amazônia); (ubá).
Capanema: de mato ruim, imprestável.
Capão: de ilha de mato.
Capenga: pessoa coxa, manca.
Capim: de folha miúda, mato fino, folha delgada.
Capinar: de pelar o mato, despir de folhas (carpir).
Capitinga: de folha miúda branca.
Capivara: de o comedor de capim, o Herbívoro.
Capivari: de rio da capivara.
Capoeira: de mato velho, extinto.
Capororoca: de mato barulhento.
Capororora: de variedade de anta.
Cará: de acará (peixe) escamoso. Pode também vir de cará, raiz tubérculo.
Caraá: de a semente do cará.
Caracambé: peixe-galo-do-brasil.
Caracú: de medula óssea. Raça de gado.
Caracuva: de piolho de galinha.
Caramona: de arbusto.
Caranha: de o acará falso.
Carapeba: de o acará chato, tipo de peixe de rio Acará ou simplesmente cará
Carapiá: de o cara pintado.
Carapicú: de acara comprido, peixe também conhecido como Escrivão.
Carapinha: de cabelo crespo de negro.
Carapitanga: de acara vermelho.
Caratinga: de acará branco.
Caraú: de Rio do acará.
Carauna: de folha preta.
Cari: o homem branco, a raça branca.
Cariboca: Veja caboclo.
Carijó: procedente do branco, mestiço, como o galináceo de penas salpicadas de branco e preto, caboclo, antiga denominação da tribo indígena guarani , habitante da região situada entre a lagoa dos Patos(RS) e Cananéia (SP), carió, cário, cariboca, curiboca, caburá, tapuio.
Cariman: de massa de mandioca.
Carió: Veja carijó.
Carioca: de casa de branco, fonte de água.
Cariru: de folha grossa.
Caroba: de folhar amarga.
Caroceira: de raspas de mandioca.
Carrancho: de o que arranha.
Carrapicho: de espinho comprido.
Càruru: Veja Carirú.
Cascavel: Veja Bapo.
Catagua: Veja Catigua.
Catapora: de fogo que irrompe (espécie de varicela).
Cateretê: de estalar (dança).
Cateta: de variedade de anchova.
Cati: bem, bastante, muito.
Catiá: Veja Catiguá.
Catiguá: de folha riscada.
Catinga: de mato branco.
Catú: Veja Cati.
Caturrita: de pequeno, anão.
Cauna: Veja Carauna.
Caverá: de folha brilhante, luzidia.
Cê: Canta.
Ceará: Vem de Siará, “Canto da Jandaia”, um pequeno papagaio.
Ceci: Mãe.
Céia: Gente.
Cendira: Irmã.
Ceriu: de rio do siri.
Chacharra: de variedade de gaturamo.
Chanchere: Veja Xanxere.
Chapecó: de donde se avista o caminho da roça.
Chimbé: de diz-se do boi cujas aspas encurvadas quase tocam a testa.
Chipa: guloseima feita de polvilho e queijo, também usada no Paraguai.
Chiripá: de espécie de cinto.
Chiú: Choro.
Chopim: de Conhecido também por Vira-bosta.
Cica: de resinoso.
Cipó: de fibra que se apega.
Cipoai: de cipó áspero.
Coandu: de o que corre na roça. Espécie de ouriço.
Coaraci: O sol, no idioma Tupi, ou nheengatu. De coá, este, ara, dia, ci, mãe deste dia, a explicação da origem da luz diurna.
Guaraci, uma teogonia indígena, escreve que o sole o criador de todos os viventes, sujeitos a Coraci, com o domínio sobre os seres privativos de sua jurisdição, vivem Anhanga, protegendo a caça do campo, Caapora, a do mato, Guirapuru, os passaros, Uauiara, os peixes. A irmã e esposa do Coaraci a Jaci, a Lua, tendo semeihantemente sua corte, com fungbes identicas as do seu irmao.
Coati: de o riscado.
Çoba: a cara. Rosto.
Coema: Já é dia. Manhã. Amanhecer.
Coivara: de limpa de roça (queimada para roçar).
Congonha: de erva que sustenta.
Copaiba: de arvore da formiga.
Copiuba; Veja Copaiba.
Corcoroca: de o que ronca.
Cotegipe: de rio torto ou sinuoso.
Cotia: Veja Acuti.
Cotuba: de muita carne (forte nutrido).
Cricri: de pequeno gavião.
Cuangueri: de rio da careira.
Cubatão: de elevação; terra montanhosa.
Cuera: de velho, antigo, o passado.
Cui:Farinha bem fina.
Cuia: de a farinha, o pó (vaso feito de catuto).
Cuica: Espécie de rato grande com o rabo muito comprido , semelhante ao canguru tambem pode ser um instrumento de percussão feito com um pequeno cilindro em uma de cujas bocas se prende uma pele bem estirada.
Cuité: de vaso verdadeiro.
Cumbata: Veja Camboata.
Cunhã: Linguarudo. Mulher.
Cunhaduva: de a canoa da mulher
Cuore: Já Agora.
Cupe: de atrás, costa.
Cupendipe: Indígenas de asas que os apinajés diziam existir no Alto Tocantins.
Cupim: de cupi a formiga.
Curiboca: Veja caboclo.
Curitibanos: de Pinheiral.
Curumim: menino.

Damacuri: tribo indígena da Amazônia.
Damanivá: tribo indígena de RR, da região do Caracaraí, Serra Grande e serra do Urubu.
Deni: tribo indígena aruaque, que vive pelos igarapés do vale do rio cunhuã, entre as desembocaduras dos rios Xiruã e Pauini, no AM.

Eçá: Olho. Os olhos. Ver. Espiar.
Eçabara: o campeador.
Eçaí: olho pequeno.
Eçaraia: o esquecimento.
Echar: de ver, avistar.
Ecó: Ser.
Emba: de oco vazio.
Embaré: de oco, diferente.
Embau: de rio oco, vazio.
Embauba: de arvore oca.
Embira: de casca de arvore.
Embiraça: de casca grossa.
Embituba Veja Imbituba.
Emburuiana: de o umbu falso.
Encoivarar: de fazer queimada.
Enduapes: Mantos de penas.
Era: Veja Cuera.
Erê: de campo.
Esgarabataba: A zarabatana, um tubo geralmente feito de taquara, com o qual assopravam setas envenenadas.
Espiar: de ver, olhar.
Espôcar: de saltar, arrebentar.
Essomerie: de chefe pequeno.
Etá: Verdadeiro.
Etê: bom, honrado, sincero.
Eté: Veja Etê.

Galibi: tribo indígena da margem esquerda do alto rio Uaçá (AP).
Gambá: peito oco
Garapa: Caldo de cana.
Garapéba: Veja carapéba.
Garatéa: nome de um busca-vidas.
Garopaba: Este nome vem grafado – Cahopapaba na carta de Turim, 1523 e pela primeira vez. Nas seguintes Assim : Upaua, Upaba, Guarupeba, etc. Vem de Igara canoa e upaba lagoa; lagoa da canoa.
Gaturamo: de bom pressagio.
Gaúcho: de cavaleiro.
Gê: Veja Jê.
Genipapo: de que serve para pintar.
Gereva: de chato ou mancha-da.
Geribá: nome de um coqueiro.
Gericua: Tartaruga
Geriva: de o que tem fruto em cacho.
Gerivatuba: de o que tem fruto de cacho, Palmeira.
Gi: de o machado.
Giguaçu: de machado grande.
Girao: de armação de paus.
Gitirana-boia: de cigarra cobra.
Goia: de gente semelhante.
Goiaba: de sementes juntas.
Goiás: Do Tupi gwaya, nome dos índios guaiás, gente semelhante, igual.
Goio-coió: que vem de água do rio.
Goio-en: de que vem de rio fundo.
Goitacá: nômade, errante, aquele que não se fixa em nenhum lugar.
Goivira: de peixe igual.
Gracharim: Veja Aguarachaim.
Grandiuva: de arvore de talo farpado.
Grão-Pará: palavra Híbrida. Pará vem o coletor dás águas, mar.
Grapicica: de madeira de casca lisa.
Gravatá: de o escamoso ou palmeira rija, dura.
Gua: de vale.
Guabiroba: de fruto de comer amargo.
Guabiruva: Veja Guabiroba.
Guacá: de folha redonda.
Guaçu: de grande.
Guaiá: Veja goia.
Guaiaca: de cinto de couro.
Guaiba: de o chefe dos berradores, bugio.
Guaivira: de peixe Manso.
Guamambaca: de o vale que cerca o céu.
Guamirim: de vale pequeno.
Guampa: aspas de boi.
Guanandi: de arvore oleosa.
Guandú: de a que Corre ligeira.
Guapari: de arvore torta.
Guapeva: de folha chata.
Guapuan: de pau redondo.
Guaquari: de acari redondo (peixe).
Guará (1): ave das águas, pássaro branco muito comum nos manguezais.
Guará (2): o que devora , mamífero (lobo) dos cerrados e pampas.
Guara: Senhor.
Guaraci: O sol.
Guaracica: de pau resinoso.
Guaraetá: de arvore verdadeira, madeira legitima.
Guaraguatá: Veja Gravata.
Guaráipu: de refugio que surge, Variedade de abelha.
Guarajuba: de pau amarelo.
Guarajuva: de Veja guarajuba.
Guaraní: guerreiro, lutador.
Guarapere: de pau traçado.
Guarapicica: Veja grapicica.
Guarapuruma: de arvore cujo fruto rumoreja.
Guarapuvu: de canoa que brota do chão.
Guarás: de ave aquática.
Guaratinguetá: reunião de pássaros brancos.
Guarauná: de guará preto; ou madeira preta.
Guariní: guerreiro, lutador.
Guaritá: de pedra do guará. .
Guarupiú: de mosquito escarninho.
Guasca: de tira de couro, correia.
Guatambu: de pau sonoro.
Gu-ê-Crig: E um herói popular indigena Guaiacuru.
Gui: o grande vale.

Herá: Instrumento musical de sopro dos indígenas parecis. Mato Grosso.

I: água, pequeno, fino, delgado, magro.
Ia ia: Outra forma de dona, senhora.
Iabaquara: Veja jabaquara.
Iacamim: Veja jacamim.
Iaciara: O dia de luar.
Iaé: Lua.
Iamí: noite.
Iandé: a constelação Orion.
Iandê: você.
Iapuçá: Japuçá
Iara: Veja Yara.
Iarateguba: de onça amarela.
Iba: ruim, feio, imprestável.
Ibi: terra.
Ibira: madeira, árvore.
Ibiraquera: Veja Biraquera.
Ibitinga: terra branca.
Ibituruna: de nuvem negra.
Ica: Trombeta dos indígenas Bororos, do Mato Grosso, produzindo um som grave, com que acompanham ritos religiosos e cerimônias funebres.
Içara: de esteio, tronco de arvore.
Icicaribá: de fruto resinoso.
Icó: Ser, estar, viver.
Iê: Veja Jê.
Ig: água.
Igaçabas: Urnas funerarias.
Igarapé: de caminho da canoa.
Igararetés-Igaras: Troncos de arvores.
Igarité: de canoa de vulto.
Igaropaba: Veja Garopaba.
Iguaçu: água grande, lago grande, rio grande.
Iguara: Veja Guara(1).
Iguarapé: de o caminho dá canoa.
Iguatemi: de rio sinuoso.
Ilapocú: vem de pedra comprida.
Íma: Sem.
Imarui: vem de mosquito.
Imbauvão: Veja embauba.
Imbé: de planta ras-teira.
Imbeuvaçu: de grande arvore oca.
Imbituba: lugar de muita planta, trepadeira.
Imerim: de rio pequeno.
Inchu: de mel de abelha rugoso.
Indaiá: um certo tipo de palmeira.
Indaial: de a palmeira.
Inhambú: de o que levanta o vôo rumorejando a perdiz.
Inhanguera: Veja anhanguera.
Inhapum: Veja Inhambu.
Inquirim: de morro do sossego.
Intanha: Variedade de sapo.
Ió: Procedente.
Ipanema: e rio ruim, imprestável, lugar fedorento.
Ipê: de arvore distinta.
Ipêaçú: de arvore distinta grande.
Ipi: o primeiro, a primeira vez.
Ipitanga: rio vermelho.
Ipú: a fonte.
Ipura: Cheio.
Ira: Veja Japira.
Iracema: lábios de mel.
Irai: Veja irani.
Irakitã: Veja AKitãi.
Irani: de rio do mél.
Irapuã: mel redondo.
Irara: de o papa mel.
Irati: Veja Irani.
Iriribá, Ariribá: de fruto que amarga.
Iririu: de rio da ostra.
Irob: de amargo.
Irupé: a vitória régia.
Ita: pedra.
Itacolomi: de o filho ou o menino de pedra.
Itacorai: Veja Itacorubi.
Itacorubi: de rio das pedras esparsas.
Itacorui: Veja Itacorubi.
Itacurui: Veja Itacorubi.
Itaguaçu: de grande pedra grande ou muitas pedras.
Itai-guaçu: de rio da pedra grande.
Itaimbé: de a pedra pontuda, afiada.
Itai-mirim: de rio da pedra pequena.
Itaipava: vemo-lo também grafado assim: itapava itopava itoupava etc. vem de ita pedra e ipaba levantada; recife, travessão rochoso.
Itajahy: do nosso atual Itajai vem de taiá e y rio: rio do taiá. Em mapas antigos vemo-lo grafado: tacahug tojahy tucuay taiahug tayahug tajaiye.
Itajai: de rio do taiá.
itajai-guaçu: de Itajai grande.
Itajai-mirim: de Itajai pequeno.
Itajuba: de pedra amarela.
Itajubá: de Pedra amarela.
Itamambeca: esponja do mar
Itamirim: de pedra pequena.
Itapava: Veja Itaipava.
Itapema: de pedra rasa, lajeado.
Itaperiu: de rio do cabeço de pedra.
Itaperobá: de pedra do caminho da canoa.
Itaperuva: Veja Itaperobá.
Itapeva: de pedra chata rasa, um lajedo.
Itapitanga: de pedra vermelha.
Itapitinga: de lajedo branco.
Itapoã: de pedra redonda.
Itapoan: Veja itapoã.
Itapocoroi: de laje que abrolha.
Itapocu: em mapas antigos o vemos também escrito; tapuca tapicu tapucu. Vem de Itapocu pedra comprida.
Itaqui: de pedra afiada, pontuda.
Itatiba: muita pedra, abundância de pedras.
Itaum: de pedra preta, ferro.
Itaúna: de pedra preta.
Ité: ruim, repulsivo, feio, repelente, estranho.
Itinga: de rio branco, água clara.
Itopava: Veja Itaipava.
Itoupava: Veja Itaipava.
Itupeva: de salto rasteiro.
Iu: espinho.
Iua: Veja Iba.
Iuçara: Veja Juçara.
Iurirémirim: Veja Jureremirim.
Iuru: de boca, baia, remanso.
Iurumirim: Veja Jureremirim.
Iva: Veja Iba.
Iviturui: frio na parte mais alta de uma serra.
Iwa: Veja Iba.

Jabaquara: rio do senhor do vôo.
Jaboti: de o que come pouco, o cágado.
Jaboticaba: de comida de jabuti.
Jabró: fugir.
Jaburu: em alusão ao modo de andar da ave, de a que é inchada.
Jacá: de o cesto.
Jacamim: ave ou gênio, pai de muitas estrelas.
Jaçanã: ave que possui as patas sob a forma de nadadeiras, como os patos.
Jaçanan: de o que grita forte.
Jacarandá: de o que tem o centro duro.
Jacaré: de o que olha torto, encurvado.
Jacareuba: de fruto encurvado.
Jacaúna: indivíduo de peito negro.
Jaci: Na teogonia indígena, era irma a casada com o sol, Coaraci. Presidia a vida vegetal. Os indigenas faziam grandes festas com comidas; laci Omunhã.
Jacu: espécies de aves vegetarianas silvestres, semelhantes às galinhas, perus.
Jacuba: de pirão de farinha de mandioca, De água morna.
Jacucaca: de o que come grãos do mato.
Jacuí: jacu pequeno.
Jacuman: de o jacu erguido.
Jacundá: Dança tradicional indígena no Amazonas.
Jacupemba: de o jacu inferior.
Jacutinga: de o jacu branco.
Jaê: nós dizemos, temos dito, falamos.
Jaguar: Veja jaguara.
Jaguara: de o que devora (cachorro, lobo, gato, onça).
Jaguaracambé: cão de cabeça branca.
Jaguaretê: de onça verdadeira.
Jáguariu: de rio da onça.
Jaguaruna: de onça preta.
Jaguatirica: de onça medrosa.
Jalapa: de o que é para se colher.
Jambaqui: Veja Sambaqui.
Jamé: oculto. Misterioso.
Jamecó, o ser oculto.
Jaobi: de a terra solta.
Japecanga: de junco de espinho.
Japira: mel.
Japuçá: Veja Iapuçá.
Jaquarana: de cigarra.
Jaraguá: de ponta proeminente.
Jaraguá: de vale do senhor.
Jararaca: de o que tem bote venenoso.
Jararacuçu: de jararaca grande.
Jatai: de arvore de fruto duro.
Jau: de aquele que devora (peixe).
Jauá: Veja Iapuçá.
Javaé: tribo indígena que habita o interior da ilha do Bananal.
Javari: competição cerimonial desportiva religiosa.
Jé: grupo etnográfico a que pertence o grosso dos tapuias.
Jeriva: Veja Gerivá.
Jeroquis: Danças.
Jeru: árvore de madeira dura, com frutos de polpa comestível.
Jeru: papagaio.
Jetica: Batata-doce.
Jibá: Braço.
Jibaoçú: grande braço.
Jibóia: de cobra d’água.
Jiçara: Veja Juçara.
Jiquitaia: Pimenta.
Jiquitaia: de a formiga.
Jó: Veja joca.
Joaia: de rio de arbusto espinhento(rebenta cavalo).
Joca: tirar, arrancar.
Ju: Veja Iu.
Jubapira: Arraia (peixe).
Jucá: matar.
Juçara: palmeira fina e alta com um miolo branco, do qual se extrai o palmito.
Jumana: tribo do grupo aruaque, habitante da região dos rios Japurá e Solimões (amazônia Ocidental) – ximana – xumana.
Jumbeba: cactos.
Jundiá: de o que tem espinhos na cabeça.
Jurêrêmirim: de pequena boca de d’água ( pode ser uma baia de mar calmo).
Juriti: de o pescoço branco.
Juru: Veja jeru.
Jurubatiba: lugar cheio de plantas espinhosas.
Jurubatuba: de enseada muito ampla.
Jurubeba: planta (espinhosa) e fruta tida como medicinal (o fruto é, muito amargo.
Jurumbeba: folha chata com espinhos, cacto.
Juruquiçaba: de ninho de papagaio.
Jururu: de aruru, que significa triste.

Kaá: Veja Caá.
Kaapora: Veja Caipora.
Kabu’ré: Veja Caboclo.
Kaluana: lutador de uma lenda da tribo.
Kamaiurá: Veja Iaé.
Kamaiurá: Veja Kaluana.
Kamby: Veja Camb.
Karajá: marimbondo.
Kariboka: Veja Caboclo.
Karioka: Veja carioca.
Ken: O Veja torê, instrumento de sopro entre os indígenas da raça Tupi, para as danças comemorativas da caça, pesca a vitórias guerreiras.
Kilaino – Duende dos Bacaeris, Caraíbas do Mato Grosso, variante do Caipora, Curupira, Saci-Perere. Koko – Festa dos Kayapós.
Ki’sé: Veja Quecê.
Koko-Kuba: Peixe.
Kubut: Macaco guariba.
Ku’ika: Veja cuica.
Kukoire: Macaco prego.
Kurumí: Veja curumim.

Lambari: de peixinho, baratinha.
Laurare: Veja Karajá.
Lauré: arara vermelha.
Lexiguana: de o bando, o enxame.
Lucarana: de vermelho falso.
Lucurana: Veja Lucarana.

Macaíba: Veja Macaúba.
Macaúba: fruto da macaúbeira (comestível, coco de catarro), fruto do sertão.
Macuim: de bicho pequeno que rói.
Magangá: Veja Mamangaba.
Mairá: uma das espécies de mandioca, típica da região Norte.
Mamangaba: de Vespa desordenada.
Mame: em algum lugar. Onde?
Mampituba: de cousa que é arejada, ventilada; o sopro. o hálito.
Manau: tribo do ramo aruaque que habitava a região do rio Negro.
Manauara: natural de, residente em, ou relativo a Manaus.
Mandaçaia: de o que se espalha envolvendo.
Mandi: de nome dado aos bagres.
Mandiguaçu: de o bagre grande.
Mandijituba: de rio abundante de peixe mandi (bagre).
Mandioca: aipim, macaxeira, raiz que é principal alimento dos índios brasileiros.
Mandiocaçu: mandioca grande (mandioca, açu).
Mandobi: de fruto enterrado.
Mandovi: Veja Mandobi.
Mangona: variedade de cação.
Manguari: de pessoa alta e magra.
Mangue: Veja Ape’ku.
Maní: deusa da mandioca, amendoim.
Maniçoba – Mandioca.
Manioca: deusa Maní, foi enterrada na própria oca, gerou uma raiz alimenticia, raiz de mandioca.
Maniua: Veja maniva.
Maniva: tolete ou folha da mandioca; se usa na alimentação na região Norte.
Manjuba: de peixe amarelo.
Mantiqueira: de coisa que verte , vertente.
Manu: morto.
Mara: mar.
Maracá: Veja Bapo.
Maracanã: de casca grossa e rija.
Maracaxá: Veja Bapo.
Maracuja: de fruto que faz vaso ou vasilha.
Marajó: procedente do mar.
Maranhão: Do Tupi mba’ra e nâ, corrente, rio que semelha o mar, primeiro nome dado ao rio Amazonas.
Maratimba: de a gente de mistura branca.
Maricá: de folha miúda.
Marimbondo: de mosca que flecha.
Marui: Veja maruim.
Maruim: de mosca pequena, mosquito.
Massau: uma das espécies de macaco, pequeno e de rabo comprido.
Massiambu: Veja Abocepecau. Talvez provenha também de imbiaça-yembó a foz do regato ou de y-bem-açá-ybu o rio da barra.
Mate: de bom para beber, bebida .
Maturati: de o morro branco, alusão a uma cascata.
Mbaekwara: Veja Baquara.
Mbara: Veja Mara.
MbaraKa: Veja Bapo.
Mbaré: de o soprado, a gaita do índio.
Mbau: Veja Bau.
Mbeb: chato, achatado.
Mbeba: Veja Mbeb
Mbir: de casca da arvore.
Mboi: de cobra, Serpente.
Membira: filho ou filha.
Menboré-uaçu: Chefe Tupinamba.
Mendarepé: Dote.
Mendubi: Amendoim.
Micuim: Veja maruim.
Mingau: de papas de qualquer farinha.
Minhoca: de o que é arrancado.
Mirã: futuramente.
Mirá: gente.
Miraguaia: de peixe manso.
Mirim: de pequeno.
Mó:fazer, fazendo, tornar, tornando.
Moina: Pos-se, colocou-se.
Mongaba: reunião para falar.
Monjuá: de a boca aberta (cofo para pesca).
Moponga: Pescaria em que se bate na água, com uma vara para os peixes irem para a rede e ficarem malhados.
Moquear: de assar sobre varas.
Moqueca: de envolver.
Moronguetá: os sentimentos verdadeiros, puros, instintivos.
Motirõ: reunião para fins de colheita ou construção (ajuda).
Muirakitã: Veja Akitãi.
Mundeo: de o que se alça; armadilha.
Munducurus: Forma geometrica.
Mupõga: Veja Moponga.
Mupunga: Veja Moponga.
Muquiço: de o piolho.
Muquirana: de o piolho falso.
Mutirão: Veja Motirõ.
Mutuca: de a mosca que perfura, ou aguilhoa, mosca que ataca os animais.

Nã: Semelhante.
Nambi: Orelha.
Namoa: de gente de longe.
Nanbiquara: fala inteligente, de gente esperta .
Naurú: bravo, herói, cheio de vontade.
Nê: teu, tua.
Nhadiuva: de arvore da aranha.
Nhambiquara: Veja baquara.
Nhandú: de a que corre ligeira.
Nhanduti: de teia de aranha.
Nhanhan: de anã parente, próximo.
Nhe: nhan, nham, falar, fala, língua.
Nheengatu: nhegatu, língua boa, língua fácil de ser entendida .
Nhemongaba: assembléia.
Nhenhenhém: nheë nheë enê, falação, falar muito, tagarelice.
Nhumbiuva: Veja Nhadiuva.
Nítio: Não. Não há.
Nitioecó: este não existe. Não ser.
Nucurá: de a passagem do campo.
Nungara: igual, semelhante.

Oapixana: tribo do ramo aruaque do alto rio Branco (RR), fronteiras com a Guiana.
Obá: rosto.
Obi: azul.
Oca: cabana ou palhoça, casa de índio.
Ocara: praça ou centro de taba, terreiro da aldeia.
Ocaruçu: praça grande, aumentativo de ocara.
Oiti: de massa branca.
Ok-pr-u-róri-róri: Espécie de Adorno.
Oré: de para nosso ou nós.
Orube: alegre, feliz, rindo.

Pá: tudo.
Paba: terminar, concluir; morrer; o fim.
Paca: de o que é vivo, ágil. nome do roedor.
Paca: esperto, vivo, vivaz, alerta.
Pacaquara: vem de furna, toca de paca.
Paçoca: de bolo esmigalhado a mão.
Pacu: de rápido no comer.
Pacupiba: de o pacu chato.
Paem: tudo.
Pagaré: de bando de pacas.
Pagé: feiticeiro, sacerdote, líder espiritual.
Pagoré: Veja pagaré
Paina: de fruto en-trançado.
Paineira: Veja Paina.
Pajelança: Ação do feiticeiro índio que conserva o titulo nheengatu pajé. Cerimonial do pajé para alcançar fórmulas terapêuticas tradicionais por meio dos espíritos encantados, de homens e animais.
Pamonha: de o visgo, o grude.
Pampeiro: de campo planície (vento sudoeste).
Panema: de coisa ruim.
Pangaré: de cor de pelo de cavalo.
Papanduva: de casca ru-gosa saltada.
Papaquara: de variedade de saira.
Papuan: de peixe redondo, a baleia.
Para – Do Tupi Paóra, “mar”, designagdo do braço direito do Amazonas, engrossado pelas águas do Tocantins.
Pará: rio e também prefixo utilizado no nome de diversas plantas.
Parabiwa: madeira inconstante (variada).
Paracanã: tribo encontrada durante a construção hidrelétrica de Tucuruí.
Paraíba: Do Tupi par’a, rio, e a’iba, ruim, impraticável.
Paraíba: rio ruim, rio que não se presta à navegação (imprestável).
Paraibuna: rio escuro e que não serve para navegar.
Paraiwa: Veja Paraíba.
Paraná: Do Guarani pa’ra “mar” e nã, semeihante, rio grande semeihante ao mar.
Paraná: de onde se avista o mar.
Paranagua mirim: de Paraná de onde se avista o mar, guá vale, entrada e mirim pequeno; pequena baia
Paranapiacaba: de para-nã-apiacaba donde se avista o mar nome pelo qual era conhecida parte da Serra do mar , no sul.
Parati: de peixe branco.
Pariparoba: de junco todo amargo.
Paroba: Veja Peroba.
Parobé: de rio todo amargoso.
Pat: Tamanduá.
Pataxo-Hã-Hã-Hãe: Tribo indigena no sul da Bahia.
Patuá: de espécie de brebe ou breve De o que pertence a cama.
Pauá: tudo, muito (no sentido de grande extensão).
Pauetê nanbiquara: tribo da região do Mato Grosso (nanbiquara, nhambiquara).
Pava: Veja Pauá
Pawa: Veja Pauá
Pê: a fim de…
Pe: no, no local, na, em. Exemplo: ocape, na casa.
Pé: vós. exemplo: pé saiçú, vós amais.
Peba: de chato, plano, também uma variedade de tatú.
Peperi guaçu: de rio de quedas grandes.
Peperi mirim: de rio de quebradas pequenas.
Pequiá: de casca tenra que abre.
Pereba: de ferida, cicatriz, a ferida com casca.
Perequê: de entrada de peixe.
Perereca: variedade de camarão
Perituba: de banhado brejo, o juncal.
Pernambuco: Do Tupi para’nã, rio caudaloso, e pu’ka, gerundio de pug, rebentar, estourar. Relativo ao furo, ou entrada, formado pela junção dos rios Beberibe e Capibaribe; de quebra-mar. (arrecifes).
Peró: Portugueses.
Peroba: de casca amarga.
Perudá: amor.
Peti: de casca.
Petim-buáb: Cachimbo.
Peua: peba.
Peva: peba.
Pewa: peba.
Pi: de caminho.
Pi: de miudo.
Piaçaba: de a travessia do caminho.
Piaga: Veja Pagé.
Piauí: Do Tupi pi’au, piau, nome generico de vários peixes nordestinos. Piauí, rios dos piaus.
Picuman: de coisa comprida também pode ser fuligem.
Pigareva: Veja Pijarava (espécie de arraia).
Pijareva: de peixe manchado.
Pijirica: de peixe veloz.
Piná: palmeira fina e alta, da qual se extrai o palmito, típica da mata atlântica.
Pindabuna: de anzol preto.
Pindaiba: de pau de anzol.
Pindí: claro, limpo.
Pipoca: de a pele estalando.
Pipocar: de rebentar, estourar.
Piquira: de a pele tenra.
Pira: de Peixe.
Pirabeiraba: de peixe brilhante, reluzente.
Pirabeju: de peixe enroscado.
Piracanjuba: de peixe de cabeça amarela.
Piraguaçu: de peixe grande.
Pirai mirim De rio de peixe pequeno.
Pirai piranga: de rio do peixe vermelho.
Pirai: de rio do peixe.
Pirajubaé: de rio do peixe amarelo.
Pirama: de está próximo.
Piranha: de que corta a pele.
Pirão: de farinha de mandioca com água. De posto de molho.
Pirapitanga: de peixe Vermelho.
Pirapuan: Baleia (cetaceo).
Piraquera: de peixe gordo.
Piratini: de Peixe Seco.
Piri: de Peri o junco.
Pirituba: de lugar de muito junco ou juncal.
Pirongo: de catuto, cabaça .
Pitaguar: Veja Potiguar.
Pitanga: de vermelho.
Pitar: de fumar tabaco.
Pitiguar: Veja Potiguar.
Pito: de o cachimbo.
Pituna: noite.
Pó: mão.
Poçauna: de rede preta.
Pocema: Festas.
Ponga: o som ôco, retumbante.
Porã: bonito.
Pora: morador; habitante de…; gente.
Poranga: de bonito, Lindo.
Porangatu: bem bonito, belíssimo.
Poru: gente.
Potar: quero. Exemplos: itá a-i-potar, pedras eu as quero.
Poti: camarão.
Potiguar: indígena da região NE do Brasil.
Potiguara: Veja Potiguar.
Potiquequia: lagosta
Potira: flor.
Potitinga: de camarão Branco.
Potoca: de mentira, embuste.
Preá: de que mora no mato.
Prejibaé: Veja Pirajubaé.
Priminhó: de caça de peixe ou o salto do peixe.
Puã: redondo.
Puava: Veja Apuava.
Puba: de podre mole.
Puçá: armadilha para peixes e outros animais aquáticos.
Puçá: de rede de pesca para siri ou camarão.
Puçanga: mezinha, remédio caseiro ( receitado pelo pagé).
Puita: de espécie de tambor.
Puranga: Veja Poranga.
Putanga: Veja pitanga.
Putári: de querer, desejar (verbo).
Puxirum: de reunião de pessoas para serviços agrícolas.

Quá: dedo.
Quarará: Tambor feito de madeira e pele.
Quati: de o riscado.
Qué: aqui, cá; também significa atenção, cuidado.: mboiqué, cuidado com a cobra.
Quecé: faca velha e/ou enferrujada e/ou cheia de dentes e/ou sem cabo.
Quecê: que foi ontem, que aconteceu ontem.
Queixada: de o que corta.
Quer: dorme.
Quéra: Veja cuéra.
Quiabo: de o pente.
Quibaana: tribo da região Norte.
Quicé: Faca de pedra.
Quicé: Veja Quecê.
Quiriri: vem de silencio sossego.

Rã: de avermelhado.
Raira: Veja Membira.
Ramê: quando?
Rana: semelhante, parecido.
Raú: falso, fingido.
Ré: amigo – rê (geralmente usado como sufixo).
Ré: diferente, distinto.
Recê: por causa de…, por amor de…
Recó: ter, tratar, negociar.
Reré: salta, saltita.
Riri: tremer.
Roama: para ser mantida de pé.
Roína: ter consigo; manter junto de si.
Ru: folha.
Ru: pai.
Ruca: que sai; procedente de…
Rudá: deus do amor, para o qual as índias cantavam uma oração ao anoitecer.

Saboga: de o pelado.
Saci pererê: de olho pequeno escamoso.
Saçuena: de perfume.
Saguaçu: de olho grande.
Saguarita: variedade de caramujo.
Sagüi: Veja Massau.
Sagüim: Veja Massau.
Sai guaçu: de olhos pequenos (nome de pássaro do gênero Tangará).
Sai mirim: de Saira pequena.
Sai: de olhos pequenos e vivos,
Saiçú: amar.
Saiqui: de bando de sairas .
Saira: Veja Sai.
Sama; fio, corda.
Samambaia: de olho enrolado.
Sambaqui: de monte, ajunta-mento monte de cascas, casqueiro.
Sambura: de pau enroscado (cesto pequeno).
Sanga: de o alagado, o espraiado.
Sanhaçu: de olho grande ou Sai Grande.
Saó: de mau cheiro.
Sapé: de alumiar é nome de uma Graminea, que serve para fachos.
Sapica: de surra importunação, tostar ligeiramente.
Sapiroca: de olho esfolado.
Sapo: raiz.
Saporema: de Moléstia que ataca a mandioca.
Sapoti: de do mato.
Saracura: de o que co-me soca de milho.
Sarará: de a mariposa.
Saru: de manso, calado.
Sauá: Veja Iapuçá.
Sauim: Veja Massau.
Sauva: de o queixo.
Sawi: Veja Massau.
Sergipe: Do Tupi si’riupe, no rio dos siris, primitivo nome do rio junto a barra da Capitania.
Siri: de cancer, caranguejo.
Siriu: de rio do siri, ou rio do caranguejo.
Socó: de Bicho que se arrima.
Soim: Veja Massau.
Sonhim: Veja Massau.
Sorocaba: de rasgar(rasgão).
Sororoca: de bicho que se arrasta.
Sucupira: de casca saliente.
Sui: de, longe de, do que (comparativo).
Suindára: de o que não come.
Suru: que desliza, manso.
Surubi: de pele lisa, escorregadia.
Surucu: de pescoço.
Surucuá: de pescoço que se esconde.
Surucucu: de pescoço sinuoso.
Surui: tribo do parque do Aripuanã, região do Madeira, Rondônia.

Tabaréu: de aldeia diferente.
Tabatinga: de aldeia branca. pode porvir também de barro branco.
Taboca: de haste furada.
Tacami: Veja Itacolomi.
Taconha: pênis.
Tacorubi: Veja Itacolomi.
Taguaçu: Veja Itaguaçu.
Taia: de aroidéa conhecida.
Taiabocú: de dente comprido.
Taió: de folha de Taiá.
Taioba: de folha do taiá.
Tajai: Veja Itajai.
Tajuba: de fruto de fogo.
Tajuba: Veja Itajubá.
Tajuva: Veja tajubá.
Tamanduá: de caçador.
Tamarana ou Tangapena – O tacape, uma arma indigena.
Tamari: Veja Massau.
Tambaturu: de ostra queimada.
Tangará: de pluma, pena de guará (o pulador).
Tanha: Figura
Tapacura: Liga, atadura, que os indígenas do rio Uaupés, especialmente as mulheres, usam trazer amarrada abaixo do joelho e que pretendem os preserve das caimbras e lhes da resistencia para as longas caminhadas.
Tapera: de aldeia extinta.
Tapiaguaçu: de pênis grande.
Tapioca: de tirado do fundo.
Tapir: de a anta.
Tapiruva: de Tapir a anta e uá espinha; a espinha, o osso da anta ou Taper-oã reina em pé.
Tapitanga: Veja Itapitanga.
Tapuia: Jes ou Tapuias, indígenas que habitavam o interior do Brasil.
Tapuia: a índio bravio , mestiço de índio. índio manso (AM), qualquer mestiço trigueiro e de cabelos lisos e negros (BA), caboclo tapii, tapuio, designação antiga dada pelos tupis aos gentios inimigos.
Tapuio: Veja caboclo.
Taquara: de haste ou pau furado.
Taquarapoca: de taquara que rebenta.
Taquari: de haste furada fina.
Taquaruçú: de taquara grande.
Taquera: de jazigo de pedra,
Taraguá: de Seio enfeitado.
Tata: de fogo.
Tatarana: Veja Taturana.
Tatu: de casco grosso.
Tatuira: de tatu da água (tatui).
Taturana: de lagarta de fogo.
Teçá: o olho do homem; olhar.
Tembé: lábios.
Tepiti: nome do coelho silvestre.
Teriva: de alegria.
Teró: Flauta de taquara.
Tiba: abundância, cheio.
Tié: de Barriga.
Tijuca: de o brejo, a lama, lama preta, líquido podre, charco, pântano.
Tijucupaua: lamaçal, atoleiro
Tijuquinhas: Veja Tijuca.
Timbauva: de arvore que da água.
Timbé: Veja Itambé.
Timbó: nome de um cipó cujo suco embriaga o Peixe.
Timburé: uma das espécies de peixes de rio, com manchas e/ou faixas pretas.
Timburê: Veja Timburé.
Tingá: de o poço.
Tinga: Veja Peba.
Tingua: de ponta redonda.
Tinguaçu: de ponta grande.
Tipioca: Veja Tapioca.
Tipiti: Do Tupi tipi, espremer, e ti, sumo. Espècie de cesto para espremer a massa da mandioca usado na fabricação da farinha, muito usados nos engenhos de farinha de mandioca na ilha de Santa Catarina.
Tipitim: Veja tipiti.
Tiratembé: Veja Iracema.
Tiririca: de mato rasteiro, de folha quebradiça.
Tiririca: erva daninha famosa pela capacidade de invadir velozmente os terrenos.
Tiua: Veja Tiba.
Tiwa: Veja Tiba.
Tiyug: tijuca.
Tiyukopawa: tijuca.
Tob: de verde.
Toca: de a casa, o esconderijo, toca, furna.
Tocaia: emboscada .
Tocanguaçu: de tucano grande.
Tocantins: bico de tucano.
Toriba: o ser alegre.
Tracotinga: de formiga branca (cupim ?).
Tracovi: Veja Itacorubi.
Traira: de arranca pele.
Trapueraba: de folha levantada e brilhante.
Tre: Fluir.
Tremembé: de o tremedal.
Trinoga: de a casa do morro.
Tuba: Veja Tiba.
Tubarão: de o semblante bravio.
Tucano: de bico ósseo.
Tucupi – Beiju-Mingau.
Tui: de bico pequeno.
Tupã: Deus.
Tupã-beraba: Raio.
Tupã-cunun: Trovao.
Tupi (1): povo indígena que habita(va) o Norte e o Centro do Brasil, até o rio.
Tupi (2): um dos principais troncos lingüísticos da América do Sul, pertencente.
Tupi-guarani: um das quatro grandes famílias lingüísticas da América do Sul.
Turi: A tocha, a fogueira.
Turiaçu: a grande fogueira.
Turuna: de valente, denodado.
Tutóia (interjeição): Que lindo! Que maravilhoso!

Uaça: Veja Aauçá.
Uaçaí: Veja Açaí.
Uaçaiçú: amar.
Uaná: vagalume.
Ubá: de canoa.
Ubã: Pai (como situação na família).
Ubá: Veja canoa.
Ubaia: de fruto saudável.
Ubatuba: de muitas canoas.
Uçu: de variedade de capim.
Uiba uí: Flecha.
Uiquê: entrar.
Uirá: pássaro.
Uirapara ou uirapa: Arco.
Umbu: arvore (imbu)
Una: preto, preta.
Upã: lagoa, lago.
Upitanga: de rio vermelho.
Uquirimbau: poder.
Urissanê: Veja Uaná.
Urnbuzeiro: Veja umbu.
Urú: de urú ave.
Urubici: de areal das aves.
Urubu: de o que desprende mau cheiro.
Urubuquara: de toca, buraco, ninho do urubu.
Urubutiaga: de urubu branco.
Uruçanga: de uru ave e çanga espraiado; espraiado das aves. Este nome vem escrito em mapas antigos como :Urolanga.
Urucum: de o vermelhão.
Urucurana: de urucum falso.
Uruguai: vem de yuru gua o coracol, o buzio e Y rio; dos caramujos. querem alguns escritores que seja rio dos pássaros.
Urumbeba: de a ma-deira, o tronco chato.

Virá: de o lustroso.
Vivaquera: Veja Biraquera.
Votu: ar; vento.
Voturantim: de o morro, a encosta branca; a cachoeira.

Wapixana: tribo do ramo aruaque do alto rio Branco(RR), nas fronteiras com a Guiana , vapixiana , vapixana, uapixana , vapidiana, oapixana, oapina
Wariwa: guariba, macaco de coloração escura, barbado.
Wasaí: açaí, uaçaí, yasaí

Xá: Eu, meu, minha.
Xanxerê: de a campina da cascavel.
Xapecó: Veja chapecó.
Xaperu: tribo da região Norte
Xará: tirado do meu nome.
Xarãma: para mim.
Xauim: Veja massau.
Xavante: tribo indígena pertencente à família lingüística jê e que, junto com os xerentes, constitui o maior grupo dos acuéns. Ocupa extensa área, limitada pelos rios Culuene e das Mortes (MT).
Xê: eu.
Xerente: constitui o maior grupo dos acuéns. Ocupa extensa área.
Ximaana: tribo habitante da região do rio Javari, na fronteira do Brasil com o Peru.
Ximana: Veja jumana.
Ximburé: Veja Timburé.
Xoclengue: tribo caingangue do Paraná (rio Ivaí).
Xororó: de tororó sussurrante, corredor.
Xuatê: Veja Bapo.
Xuê: devagar.
Xumana: Veja Jumana.
Xumane: Veja Jumana.

Y: de rio ou agua.
Yacamim: Veja jaçamim.
Yamí: noite.
Yapira: Veja japira.
Yara: deusa das águas, mãe d’água, senhora, lenda da mulher que mora no fundo do rio.
Yasai: Veja açaí.
Yawara: Jaguara.
Yba: de Arvore ou fruto.
Yu: Veja Iu.
Yuru: de boca

53 responses

27 10 2009
marika

legal

10 07 2010
Yndaia

Gostaria de saber se tem curso de língua tupi-guarani oferecida ao público em Manaus.Quero aprender mais sobre essa língua nacional.

23 11 2010
ines

ola este site e uma grande porcaria vao dar uma volta ao bilhar grande

15 06 2012
Ricardo

pelo amor de deus, dicionario tupi-portugues tenque levar para os indios, para nos teria que ser portugues tupi, pois fica dificil ler o dicionario inteiro para pode axa a palavra que vc procura em tupi. gostaria de saber como é fruta em tupi. me mandem por email pq n vo le tudo n, rscarab@ig.com.br

13 08 2012
joao prestes

Assás interessante…gostei muito. Parabéns ao criador deste pequeno
Dicionário…ajudará os interessados…quase tudo no Brasil está em tupi/guarani: nomes de lugares,cidades e mesmo no nosso linguajar cabloco!!

28 08 2012
Joao Prestes

Gostei dessa edição, mas ainda não esta completa…faltam os nomes das cidades, grafadas em tupi tipo: Itapeva,itapetininga,itaporanga,Guapiara,
Avaré etc. No Pequeno Dicionário/Vocabulário Tupy/Guarany de Silveira Bueno tem essas e outras palavras é bom ver para ficarem mais inteirados.
Também não está completo mas são mais palavras do gutural Tupy/Guarany…agradeço, me foi bastante ilustrativo aprendi umas par a mais !!

30 08 2012
Anttonny Benitez

ndeporá… o q significa…

8 11 2012
Gerson Pionório

Parabéns !É de trabalhos como esse que jovens brasileiros precisam, pois os faz conhecer bem mais as origens do nosso linguajar e mostra-nos quão diferente é o nosso português do idioma falado nas terras lusitanas.

8 02 2013
Walter Capelli

Sou fanático pela nossa língua nacional, neste dicionário aprendi bem, parabenizo vcs, moronguetá xê jamé (o mistério é meu sentimento), sou da cidade de Moji Guaçu (terra da cobra gde em forma de curva)

23 02 2013
César Roberto P Santos

Gostei muito desse dicionário, nele esta a verdadeira linguagem dos nossos índios Brasileiros.

1 03 2013
Cleusa Benta Monteiro

Aaru. bolo de mandioca também?

2 03 2013
César Roberto P Santos

Gostei da mensagem, a cada dia aprendo mais sobre os índios.

27 04 2013
robert

muito legal

28 04 2013
César Roberto P Santos

Valeu amigo, sempre vamos preservar a tradição desses povos que é um exemplo de vida que são os nossos índios.

7 06 2013
Igor Mota

guaxindiba, birapitanga, guaianã. O que significam?

25 06 2013
Alex Naves

Indico aos interessados a gramática do tupi, do Prof. Navarro (USP).

2 10 2013
Iaci Morata Martines

Percebi que o nome da Lua está errado. Não sei qual foi a fonte que você utilizou, mas indico, para verificação da veracidade destes nomes o livro “Vocabulário Tupi-Guarani / Português”, da Brasileiros Editora e Distribuidora, do professor Silveira Bueno, professor emérito da USP.
A edição que tenho é de 1982, e , acredito que esse queridíssimo professor já não exista mais. Porém, deve existir alguém que tenha continuado seu trabalho. Verifique a indicação do Alex, logo acima da minha.
Por falar nisso, Lua, em tupi-guarani é Yacy, e pode ser encontrado no formato Jacy, Jaci ou ainda Iaci.
Grata pela atenção,
Iaci

7 10 2013
Elyellton Silva

muito bom deu pra eu fazer meu trabalho

28 11 2013
Victoria Santos

muito bom consegui terminar meu trabalho da escola que tinha que fazer um mini dicionário e me ajudou bastante parabéns por este site muito bom!!

7 01 2014
rog

reclamam demais, a palavra já diz “MINI-DICIONÁRIO” as pessoas tem preguiça de procurar querem tudo de mão beijada, querem enriquecer o minidiocinárioo pesquizem e tragam pra K, como fazem no google, um idioma inicial do brasil que quase se perdeu e tem pessoas tentando resgatar e outras reclamando, aff.
Gostei do “MINI DICIONÁRIO”.

8 02 2014
Eugenio Avelar

Muito bom! Parabéns! Que tal publicar neste espaço, Macunaíma e as obras de Raul Bopp?

12 02 2014
Isabella

Muito bom! Podiam criar um app para smartphone

7 04 2014
Josefina Silva Boscia

Que tal uma página assim e com todos os detalhes da língua Tupi Guarani no Facebook, obrigada!

26 04 2014
Mauro Torma Silveira

Porque não existe aqui no Brasil um dicionário,Português para o Tupí-Guaraní.ex:Noite=yamí?É tão difícil isso?

9 07 2014
carolina

Para quem não consegue achar a palavra é só dar ctrl+F digitar a palavra (português ou tupi) e ir buscando e lembrar que para outras culturas e línguas nem sempre uma palavra necessariamente possui um único significado correspondente e vice-versa (isso é para RICARDO, se bem que acredito não voltar para ler a resposta). Gostei muito da página, procuro uma palavra que signifique só saúde, catussaba parece que significa boa saúde…

4 01 2015
Luiz mauricio

Parabéns pela iniciativa.

20 08 2015
luanderson ferreira

muito bom
tirou muitas duvidas!!!!!!!!!!!!!!!!!!

18 10 2015
Sérgio

Eu preciso muito da palavra valor (valores)… Alguém pode ne ajudar!?

Em 2013 fiz um curso de iniciação à arte, n área te teatro aqui em BH, Minas Gerais, e no fim do ano fizemos um espetaculo que contava, de modo contemporâneo a história dos povos no Brasil, representado por um prédio… O primeiro andar é o andar dos índios. A turma de música criou a música capeuã, con o refrão: “capeuã baquara etee nambiquara” algo com: “homem da mata forte e inteligente”, mas o governo de minas ai tem tido o interesse em manter certos programas ligados à arte, como o balé jovem do palácio das artes – grande teatro, referência em BH- e agora o valores de minas está ameaçado.. Queremos refazer essa letra de musica com homem de valor forte e inteligente…

Se alguém puder ajudar, agradeço, desde já…

12 11 2015
MAURO LÚCIO

GOSTEI MUITO DESSE PEQUENO DICIONÁRIO, MAS, INFELIZMENTE OS PRÓPRIOS ARBORÍGENES PERDERAM MUITO DE SUA CULTURA QUANDO OS COLONIZADORES CHEGARAM AQUI, ELES PERDERAM MUITO DE SEU IDIOMA QUANDO OS COLONIZADORES OS OBRIGARAM A APRENDER O PORTUGUÊS E A CULTURA EUROPÉIA.

14 11 2015
Gilson Pereira

Uma duvida…..esse vocabulario é tup antigo, guarany ou nheengatu?

11 01 2016
José

Muito bom trabalho, parabéns.

30 01 2016
tatiana

Eu ficaria imensamente grata se algum de voces pudessem me traduzir do portugues para o tupi- guarani as palavras : Amor – Paz – Harmonia e Boca fechada!
Estou ja procurando ha algum tempo mas eu creio q so acho adjetivos e nao o Substantivo da Palavra.
Assim mesmo queria agradecer poder ver o vocabulario do nosso povo indigena!
At
Tatiana

18 02 2016
Etinan

Gostaria de saber o significado da Palavra ( Paracuru ) ou Para+curu, se for possível e qual seria o dialeto…

20 04 2016
Lucas Goes

gostaria de saber a frase juntos somos mais fortes em tupi guarani

6 05 2016
Félix

gostaria de saber a tradução do nome da serpente Uru´tu. dizem que é tupi mas não vejo referencia alguma. uru, como consta é ave mas e o restante?

16 06 2016
Wesley

Como se diz Parabéns para você em tupi-guarani? seria “Putári Angatu”?

30 07 2016
Enoc Manoel de Santana

Gostei. É muito bom. A nossa língua mãe.

23 08 2016
damarischabuder

Ola, estou procurando a traduçao para doce em tupi guarani, mas ainda não achei, vc poderia me ajudar?

25 08 2016
WLADIMIR GONÇALVES DE SOUZA VICENTE

Ola, gostaria de saber o que significa Mata Una, n estou encontrando. E faz parte da historia do meu Avó. tecovicente@yahoo.com.br
Obrigado. Wladimir.

24 09 2016
Xauanda Postal

Olá.. Gostaria de saber se vocês sabem me informar o Significado do nome XAUANDA.. Pois não consigo encontrar..

16 11 2016
Renato Espíndola

Muito legal, muita gente tem interesse ou mesmo sabe tupi, Guaraní e até algumas do macro ge, vou tentar apre der o máximo dos nossos antepassados!!!!!!!!!!!!

28 11 2016
Aline

Gostaria que alguém traduzisse esse texto em guarani para português!

Jawy ju. Nhanebarete ikatu pawei ojopieguai.
Nhanhemandu ikatu mborai.

22 12 2016
Íggor Santana

Olá pessoal, quero fazer uma tattoo em Tupi guarani, alguém pode traduzir pra mim ?

Filho de sol poente.

Grato!

8 02 2017
Marco Antonio Maestrello

Maestrello, quando fui educador no Senai,década de 90, todos os alunos aprendiam setenta palavras em Tupi Guarani, as mais usadas em São Paulo,Morumbi,Pacaembu, Itaquera,etc.. lembrando que etc significa e tantas coisas ,alem de aprenderem o “5S” ,pena que a educação no Brasil está regredindo, contrariando a lei da evolução, abraços

17 03 2017
Danilo Canuto

Otimo mini dicionario, parabens a todos que se esforcam para perpetuar a lingua dos verdadeiros donos das terras brasileiras, , apesar de tanta ignorancia acerca do assunto, Esta é a nossa cultura original e cada vez que estudo mais sobre vejo o quão é maravilhosa .

26 03 2017
erico da veiga pessoa

magnifico, sublime. Somente agora entendi o significado da palavra usada pela minha avo’ :NHENHENHE’M

3 04 2017
André nogueira

a comunicação dos nossos antepassados ancestrais.

14 04 2017
Darliane Dantas

Gostaria de saber a tradução em Tupi-guarani para a palavra “ciclo de vida”.

19 04 2017
Nadir Aires da Silva

Nota 10

17 05 2017
96quiterbitterbeings

Como seria cavalo em tupi? E montar/montaria? No caso eu gostaria de saber como ficaria “montar o cavalo”

1 06 2017
Jose Celso de Oliveira Malta

Quando e onde há curso de tupi; tupi-guarani em Manaus?

6 06 2017
Kelene cavalcante

Gostei ❤

13 07 2017
Fernando batista da Silva

Muito bom

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: